Jejum Intermitente: Benefícios para a Saúde

Ao nos alimentarmos como os nossos ancestrais, favorecemos a nossa saúde e ainda ficamos em dia com a balança.

Artigo publicado por Camila Flor nas categorias: Nutrição

O jejum intermitente tornou-se moda entre aqueles que buscam pelo corpo perfeito, ou seja, aquele com menos gordura possível. Entretanto, atualmente, alguns estudos demonstram que ele não serve apenas para fazer as pessoas emagrecerem, como também para aumentar a sua saúde e longevidade. Tudo porque é baseado no modelo de alimentação dos nossos ancestrais, que precisavam caçar e plantar o que comeriam. Ou seja, eles passavam por momentos de fartura alimentar em alguns períodos e, em outros, não tinham o que comer, sendo obrigados a jejuar. Se você quer conhecer um pouco mais sobre essa dieta, conheça os benefícios do jejum intermitente para a saúde:

jejum-intermitente-beneficios-para-a-saude

Combate a Resistência à Insulina

A resistência à insulina pode ser genética, mas também pode ser causada pelo excesso da ingestão de açúcar, que é utilizado pelo organismo como combustível. Porém, quando há mais açúcar que o necessário, ele passa a ser estocado e gerando doenças crônicas como o diabetes, os problemas cardíacos e até o câncer. Dessa forma, quando fazemos o jejum intermitente, o corpo passa a usar a gordura como principal fonte de energia, reduzindo drasticamente os riscos de ocorrerem doenças crônicas, além de queimarmos mais gordura e termos menos vontade de comer açúcar.

A Produção do Hormônio do Crescimento Aumenta

Conforme pesquisas, quando se faz o jejum intermitente, o hormônio do crescimento humano, também conhecido como HGH, aumenta em 1300% nas mulheres e 2000% nos homens, o que permite o corpo de quem malha crescer com mais rapidez, desacelera o processo de envelhecimento das células e queime mais calorias (gorduras).

Menores Níveis de Triglicerídeos

Os triglicérides, muito conhecidos de quem faz exames de rotina, são grandes inimigos do coração, aumentando em grandes proporções os seus riscos. Como o jejum intermitente ajuda a manter os níveis de insulina em dia, também contribui para que os triglicérides mantenham suas taxas estáveis.

Menos Estresse Oxidativo

Os radicais livres, quando presentes em excesso no nosso organismo, aceleram o processo de envelhecimento das células e provocam diversas doenças infecciosas e inflamatórias. Dessa forma, o jejum intermitente diminui o acúmulo desses radicais, o que impede os possíveis danos causados pela oxidação nos lipídios, ácidos nucléicos e proteínas das células.

Poderoso Contra a Demência

Um dos benefícios mais importantes do jejum intermitente é prevenir e até tratar casos de demência. Isso acontece porque as cetonas, que são liberadas em forma de subproduto da queima calórica, são o combustível preferido do cérebro, e não a glicose, como se pensava antigamente. E mais: a proteína conhecida como Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro (BDNF) tem a sua produção elevada, ativando células-tronco neurais e convertendo-as em novos neurônios, que disparam outras substâncias químicas importantes para a saúde dos nervos, protegendo-os contra as doenças de Alzheimer e Parkinson.

Como Fazer o Jejum Intermitente?

Há uma grande variedade de cronogramas de jejum intermitente que envolvem o corte total ou parcial de ingestão de calorias. O mais conhecido é o 5 por 2, ou seja, deve ser realizado 2 vezes por semana, em dias alternados ou diariamente. Para tanto, você deve alimentar-se normalmente por 5 ou 7 dias e permanecer se alimentando com cerca de 500 calorias se for mulher e 600 se for homem por 2 dias seguidos. Além de alimentos leves e pouco calóricos, invista em muito líquido, seja em forma de água pura, sucos naturais ou chás. Com isso, é possível perder até 8 quilos em apenas 60 dias.

Camila Flor

Autora

Camila Flor cozinha com a sua avó no sítio desde os 5 anos e hoje participa no desenvolvimento de hortas urbanas orgânicas e na popularização da culinária funcional.



Comente!




*Campos obrigatórios